Notícias

Cidades alagam e monitoramento aponta que nível de rios continua subindo

Várias famílias estão desabrigadas em todo o Piauí e Defesa Civil atua.

  Compartilhe

chuva que teve início na quinta-feira (12) e avançou pela madrugada desta sexta-feira (13) fez subir o nível de rios em vários pontos do estado, inundando residências em cidades do Norte do Piauí. De acordo com monitoramento do Serviço Geológico do Brasil, os rios Marataoan em Barras e Piracuruca, na cidade de mesmo nome, tiveram os maiores índices de precipitação.

Segundo Roberto Fernandes, do Serviço Geológico, a chuva em Piracuruca chegou a 116 mm e Barras acumulou 145 mm. “O rio Marataoan em Barras subiu 16 cm em 24 horas e chegou a 4,45 m. À meia-noite atingiu 4,49 m que é a maior cota do ano. Lá e em Piracuruca o nível está baixando, mas chegou a 5,84 m às 22h de ontem”, explicou ele.

Em Esperantina, preocupa o nível do rio Longá, que atualmente chega a 7,94 m e elevou em 24h um total de 53 cm. O rio Parnaíba tem permanecido estável, segundo o Serviço Geológico, chegando em Floriano chegou a 6,58 m e em Teresina a 4,98 m.

Em Luzilândia, o Parnaíba está próximo de transbordar. “Às 9h30 chegou a 5,50 m e faltam 10 cm para uma inundação, mas a tendência continuar subindo. Preocupa Miguel Alves, onde não temos monitoramento, mas temos posto em Coelho Neto [MA], a cidade mais próxima, onde o rio chega a 7,10 m e a tendência é diminuir, chegando ao maior valor do ano”, disse Roberto.

Inundações

Em oito cidades, foi decretado estado de emergência. Em outras, as águas chegaram às residências e deixaram famílias desabrigadas, como em Miguel Alves e Campo Maior. Nesta última, há 13 bairros alagados, 150 famílias fora de suas casas e, destas, 71 estão em prédios públicos da prefeitura.

Em União, moradores afirmaram que precisaram nadar para sair de casa. Na cidade de Matias Olímpio, a prefeitura suspendeu as aulas devido à situação de chuvas intensas na cidade.